sexta-feira, 29 de maio de 2015

A Espera


Estudos demonstram que a maioria das pessoas se apaixona, ou melhor ama, duas vezes na vida. Eu já gastei a minha primeira chance. Agora só me resta esperar pela segunda. 

Esperar. Essa palavra me assusta tanto. Eu tenho passado minha vida esperando. 

Esperando eu começar a ter interesse pelo sexo oposto. Esperando eu me apaixonar. Esperando eu me sentir pronto pra viver minha sexualidade. Esperando eu estar pronto pra fazer sexo. Esperando alguém querer. Esperando o momento certo pra me declarar. Esperando eu ter vontade de fazer o que tenho que fazer. Esperando o prazo acabar. Esperando alguém me notar. 

Esperando...

Ainda não me sinto preparado pra um novo amor. Estou esperando.

Ou talvez eu esteja só perdendo tempo. Mas também espero que isso se resolva. 

Embora eu ainda tenha desejos básicos, de todo ser humano saldável, eu ainda estou preso no que não houve, na possibilidade. Por mais que eu tenha feito um trabalho duro em seguir em frente, não se deixa de amar com um adeus. 

Por isso espero. 

Conheço outras pessoas, revejo as velhas conhecidas. Passeio pelos lugares ou fico na minha casa. As coisas e principalmente as pessoas me despertam curiosidade e interesse, mas nada me desperta sentimentos. Nada de emoções.

Desejo intelectualmente, mas meu coração não bate. 

A verdade é que eu não sei brincar de me relacionar. Eu já sou velho para essas lições, ainda assim tento ser aprendiz. Entre quedas e tropeços. Engatinhando. 

Antes eu pensava que morava num castelo de gelo. Até alguém entrar aqui e fazer esse estrago. Me tirou totalmente do controle, derrubando todas as barreias que eu construí, sem que eu percebesse. Sem ter a intenção. E foi embora, deixando poeira e pó. 

Agora eu moro no fundo de um vulcão ativo. Quem chega perto de mais pode se queimar. E já fiz as primeiras vítimas. 

Quem agora poderá me desenterrar desse lugar que me escondi? Quem será paciente e disposto o suficiente? 

Será que esse alguém existe? 

Espero que sim.

Eu espero de mais. De tudo. De todos. 

Agora eu não espero mais nada. 

5 Cochichos atrás da porta:

Latinha disse...

Gosto de pensar que "Tudo com tempo, tem tempo!" (como diria minha avó), mas confesso que fico assustado ao ver o tempo passar por mim e ter a sensação de que estou ficando para trás... Se a intensidade das coisas não está no tempo, mas na forma como elas acontecem, espero que quando vier elas compensem a espera...

Até lá... assim como você... só me resta esperar!!!

Na verdade essas coisas são como doença infantil, tem que "passar por elas" quando ainda se é criança, do contrário dá um trabalho!!! ;-)

Abração.

Ro Fers disse...

Nunca tinha ouvido algo sobre duas paixões na vida... Como estou na minha 2ª paixão, só me resta curtir intensamente...

Acho que tudo tem a hora e o momento certo, embora temos que nos permitir... Eu mesmo jamais pensei em viver um conto de fadas, e não tinha nenhuma esperança.

Abraços e boa sorte garoto!

Homem, Homossexual e Pai disse...

lindo texto... lindo mesmo, vc esta bem emotivo nestes dias pelo que vejo... agora, eu acho que este limite de DUAS PAIXÔES na vida é muito pequeno e assustador, de duas uma, ou eu já gastei as cotas de outros ou eu nunca me apaixonei verdadeiramente! porque estar apaixonado ja me aconteceu varias vezes!

FOXX disse...

sério que é só duas vezes? pq, no caso, já foi!

J. M. disse...

Quando terminei de ler este post, respirei fundo. Como uma concordância a tudo o que li. Me identifiquei acima de tudo com a frase "Desejo intelectualmente, mas meu coração não bate." Eu estou assim, passando pela vida, prestando atenção à tudo e à todos, me interessando sim, mas racionamente. Porque o paixão, amor, são sentimentos que tem passado muito, muito longe de mim. Belíssimo post, Sam. E pior que eu acho que ainda não vivi nenhuma das duas paixões que as pessoas tem na vida. Abração.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...