sexta-feira, 3 de abril de 2015

Mais uma vez

Mais uma vez me vejo aqui, em frente ao branco de uma folha. Tão opressora e tão reconfortante. Mais uma vez eu venho aqui, pois é assim que eu fujo de mim. É assim que eu me encontro. 

Hoje me peguei mais uma vez com aquela antiga sensação. Sensação conhecida, velha amiga. Hoje eu mais uma vez quis chorar. A solidão me bateu a porta. 

Para contextualizar, e compensar minha enorme ausência nesse lugar, no meu Quarto Fechado, devo recapitular os últimos fatos que se desenrolaram no meu coração. 

garoto triste sem camisa com o coração aberto


Daquela vez eu estava decidido. Eu não sabia o que faria exatamente. Na verdade eu não tinha ideia do que fazer. Mas eu o amava (se você não sabe do que eu estou falando deveria ler algumas cartas), eu sabia disso de toda a minha alma, eu não tinha mais nenhuma dúvida, e não ficaria mais calado. Eu queria ficar com ele, meu corpo não mentia. Eu o queria só pra mim, meu coração clamava. 

Passei várias noites em claro pensando nas palavras, no local certo, no jeito, nas reações, nas possíveis respostas, nas contra respostas. Muitas ideias passavam pela minha cabeça, planos eram feitos e desfeitos. A única coisa que eu sabia era que não ficaria mais parado. Não poderia esperar mais. Iria colocar todas as cartas na mesa e estaria pronto pra o que viesse. Seguir em frente, com ou sem ele. Eu não conseguia mais ficar no mesmo lugar.

Embora a ideia já estivesse crescendo em mim há um bom tempo, eu só tomei a decisão quando voltei a vê-lo depois de um longo tempo, e o vi com outro. Minha razão se perdeu totalmente. Ciúmes, como nunca experimentei antes. A distância, parece, teve o efeito contrário do que eu esperava. Não pude mais achar desculpas, teria que ser tudo ou nada. 

Apensar de tudo, das coisas que eu sabia que não poderiam dar certo, de todos os seus defeitos, de tudo que ele me fez. Apesar de tudo, eu o queria. Eu o desejava comigo como jamais desejei algo. E a cada dia sem isso era uma tortura. Uma longa punição pelos meus pecados. Os cometidos e o ainda por cometer. 

Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, o tempo pareceu se acelerar. Quando dei por mim ele já estava fazendo declarações de amor e marcando dia do casamento com o outro. Tudo estava perdido. Meu sonho se quebrou. Eu, como é de praxe, fui lento demais. Demorei muito pra tomar uma decisão. Não. Demorei muito pra estar preparado. De qualquer forma já era tarde.

E eu, num grito silencioso, segui de cabeça levantada enquanto o caminho se estilhaçava através da lente de lagrimas em meus olhos. 

Um pé depois do outro, sempre foi meu lema. 

Quando você atravessa o inferno, não tem jeito, você se queima. Mas as feridas uma hora param seu fluxo de sangue e secam. E a crosta que fica, ela te deixa mais forte. Ou menos sensível. 

Agora sinto como se tivesse fugindo de pensar, de sentir. Me afogando em tudo que está ao meu redor. Em livros, filmes, jogos, estudos, trabalho, atividades domésticas. Eu tenho escapado de sentir muito forte as consequências de tudo, embora a consciência estivesse sempre lá, me lembrando, me observando. 

Mais uma vez a sensação de queda livre. Mais uma vez ele. Mais uma vez eu. Mais uma vez ninguém. 

Mais uma vez. 

3 Cochichos atrás da porta:

Anônimo disse...

Eu não sei o que dizer. Não tenho nada que sirva como uma palavra amiga. Mas talvez eu não deva. Consolar sempre piora as coisas? Talvez
"Um pé depois do outro"
tchau Sam (e desculpe)
Ass: Godrik

Latinha disse...

Então... difícil falar alguma coisa, na verdade há pouca coisa (ou quase nenhuma) que possa ser dita para melhorar o que na verdade doi em uma situação dessas, mas apenas vou lhe dizer uma frase que vi uma vez e que dizia que os "Santos" quando querem nos castigar, atendem aos nossos pedidos...

Talvez hoje não faça sentido, mas acredito que daqui um tempo, no tempo certo, você vai entender o que "o recado". Só vou dizer que não acho que você seja culpado de isso, ou aquilo, não há manuais para certas coisas e muito mais difícil é achar "um tempo"... Então, veja o que pode aprender, guarde as coisas boas e "let it go"...

Abração Grande!

Anônimo disse...

Era só vocês, era a chance de ser só vocês, se ele está com outro, foda-se, ele pode estar pensando em você, se ele vai casar, no convite, pode constar atrás: "Estou casando mas o grande amor da minha vida é você." Para, pensa, ou nem pensa tanto, afinal é uma das coisas que tu mais faz não é meu caro? Então, levanta daí e corre atrás da pessoa que tu desejou, se é pra ser vocês, será vocês e só isso. Não importa o tempo que passe. Fica a dica de alguém, alguém do além, alguém de longe. Abraços!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...