segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

As Cartas Que Eu Não Mando #3

Em um dia tranquilo.

As Cartas Que Eu Não Mando #3

Para Minha única exceção

Agora já estou mais calmo. E essa serenidade me trouxe uma dúvida mais concreta. Já não acho que eu realmente te ame.

Ou melhor, não mais te amo.

Acho que era só algo momentâneo. Fruto da mente de alguém que realmente está com vontade de amar. Mas como você sabe eu sou um estranho e não se explicam os estranhos. Eles só são e ponto.

Fim.

10 Cochichos atrás da porta:

Fred disse...

E quando a gente sente essa vontade - de amar - fica sempre predisposto a "meter os pés pelas mãos"... hehe! Hugzão, Samzão!

Joel Vieira disse...

Nosso maior desafio na vida talvez seja lidar com nossa própria carência/solidão.

Sam Peregrine disse...

Vocês disseram duas verdades, Fred e Joel. Mas nós temos de encontrar de jeito de seguir em frende, por mais que cometamos erros...

Dil Santos disse...

Oi, tudo bem?
Menino gostei da explicação sobre os estranhos, rsrs.
Bjo

Sam Peregrine disse...

Tudo ótimo Dil
Passei no seu blog e gostei do que vi. Já estou seguindo :)
Com os estranhos é bem assim, não é mesmo? rs

Dil Santos disse...

Oi Sam, menino eu acho que tá funcionando sem as famosas promessas, rsrs
Que bom que gostou, ele tá meio abandonado, mas estou voltando com ele, rsrs
Bjo menino

railer disse...

sam, muito bacana seu blog e esse texto, principalmente. já tou te seguindo! realmente amar é algo que acontece e não se explica.

Sam Peregrine disse...

Obrigado railer!
Passei no seu blog e gostei bastante!
Seguindo também.
Amor é mesmo inexplicável.

O Rei do Drama disse...

Eu não queria mais amar. Não queria amar meu melhor amigo. Não queria esse turbilhão na minha vida, mas te-lo me faz pensar sobre meus limites.

Sam Peregrine disse...

Dramma,
Amar o melhor amigo é uma merda. Eu que o diga sobre limites. Tenho aprendido bastante sobre os meus.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...